Resenha #76: O corcunda de Notre-Dame

Título: O corcunda de Notre-Dame
AutorVictor Hugo
Editora: Leya
Nº de Páginas: 476


História, fantasia, bom humor e fatalidade. Na Paris do século XV, a obra de Victor Hugo narra as ambições humanas e as paixões impossíveis, sendo o principal cenário a mais famosa catedral gótica da Europa. Um rapaz sensível, enjeitado por ser extremamente feio, uma jovem bela e encantadora, porém cigana, uma autoridade religiosa que fez da rigidez seu modo de vida e uma mãe em busca da filha raptada vivem seus dramas publicamente e têm um encontro marcado com a fatalidade. O reverso cômico da história se dá por meio das trapalhadas em que se envolvem um fracassado poeta, um estudante preguiçoso e um garboso capitão de cavalaria.

Estou a tempos em frente ao computador sem saber ao certo como falar da perfeição, desta, que é uma das obras mais famosas do escritor Victor Hugo. Peço desculpas, de antemão, caso esta resenha fique longa demais ou um tanto quanto confusa. Não é fácil escrever sobre um clássico como esse, quiçá um que tenha gostado tanto!

Ambientada com detalhes requintados e descrições impecáveis de Paris do século XV, em meados de 1482, está é uma história incrível e tragicamente bela.

Se você espera encontrar no enredo deste livro a história adaptada pela Disney, esqueça. A obra é intensa, com personagens complexos, que tem seus destinos entrelaçados pelo amor. Não apenas o amor, mas vários amores impossíveis, dentre eles o de Quasímodo, o famoso personagem corcunda, surdo e coxo, criado entre as sobras da catedral de Notre-Dame por Frollo, um arquidiácono que o encontra após ser abandonado pelos pais devido suas deformidades.

Batizou o filho adotivo e deu-lhe o nome de Quasímodo, ou porque desejava marcar o dia em que o encontrara, ou porque quis indicar com esse nome até que ponto a criaturinha era incompleta e esboçada. Na verdade, Quasímodo, caolho, corcunda, com os joelhos voltados para dentro, não passava de um quase. 


Quasímodo é um ser que só conheceu o desprezo em toda sua existência, portanto, se deixa controlar por aquele que o acolheu. Por ser uma criatura tão reclusa, este se mostra introspectivo, grosseiro e, muitas vezes, podemos caracterizá-lo como um ser ruim, mas, quando o conhecemos a fundo, nos deparamos com um personagem apaixonante que, caso você seja sensível como eu, vai te levar as lágrimas.

Ambos ficaram imóveis por instantes, considerando um ao outro em silêncio; ele via tanta graça, ela, tanta feiura. A cada instante, ela descobria em Quasímodo alguma deformidade a mais. Seu olhar passeava dos joelhos tortos do corcunda às costas corcundas, das costas ao olho único; Não conseguia entender como um ser tão mal rascunhado podia existir. Mas havia em tudo tanta tristeza e doçura, que ela já começava a se acostumar.


Quanto aos demais integrantes desta trama, bem, Phoebus é capitão da guarda. De boa aparência e bravo, este se torna a última peça de toda tragédia que se desenrola a seguir, claro, sem deixar de lado a bela cigana Esmeralda.

A garota de dezesseis anos é dona de enorme beleza e de um ritmo envolvente. É por todo seu encantamento que os destinos dos personagens se entrelaçam.

Frollo, dividido entre seus votos e sua fixação pela cigana, ordena que Quasímodo sequestre a moça. Esmeralda é salva pelo capitão da guarda, situação que acaba resultando na trama formada entre estes.

Não é nenhum spoiler se eu falar aqui que os “cavalheiros” se apaixonam pela moça, mas, de maneiras distintas e com diferente intensidade, como tinha que ser.

Entre os personagens, é aquele que supostamente causaria mais repulsa, o que mais desperta a compaixão do leitor. Frollo é obsessivo. Esmeralda é tola e ingênua. Phoebus é detestável mas, Quasímodo... Mesmo diante de todas suas limitações físicas e emocionais é aquele que, através de seu amor pela Catedral de Notre Dame, seus gestos de bondade e seus sentimentos por Esmeralda, nos encanta, pois diante de tanta desumanidade enfrentada, este ainda conservou bondade dentro de si.

(...) E era tocante essa proteção de um ser disforme sobre um ser infeliz. Eram as duas misérias extremas da natureza e da sociedade que se tocavam e se ajudavam.

Sei que estou falando muito e dizendo muito pouco, mas, a intenção aqui é que você, leitor, se surpreenda e se emocione com esta obra como aconteceu comigo.

Com a narrativa magnífica de Victor Hugo, você pode vislumbrar como era Paris no século XV. É possível visualizar em suas palavras a catedral de Notre Dame, com a figura curvada tocando o sino e, sentindo através de suas vibrações, que era parte daquele ambiente. Toda a tragédia que envolve o enredo nos prende de tal maneira que mal percebia quando passava as páginas.            

Confesso que fiquei tão encantada com a visão que Victor Hugo nos passa de Notre Dame que despertou-me a vontade de conhecer local, mas, isto é um plano para um futuro bem distante!

Voltando ao foco, deixo claro que nada do que eu diga aqui será capaz de elucidar a magnitude desta obra, podendo sugerir apenas a leitura desta, aconselhando o leitor para que este se prepare para o que lhe espera.
           
Este foi meu primeiro contato com o trabalho do autor e após ter lido Os miseráveis também, mal posso esperar para ler suas demais obras, afinal, por estas leituras pude ter um vislumbre de sua escrita ímpar.

Bem, é isso! Espero que tenham gostado e que leiam este livro! Não deixem de comentar! Beijos e até a próxima resenha!


28 comentários:

  1. Sempre tive muita vontade de ler esse livro e imagino que a edição deve estar linda. Acredito também que deve ser muito complicado falar sobre uma trama tao magnífica e cheia de detalhes especiais, como pude perceber mesmo. Sua resenha ficou ótima, ainda mais porque deixou claro o quanto a história te marcou.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Morro de vontade de ler essa obra,imagino que deva ser uma história incrível e emocionante,sem contar a capa que também é linda. E sua resenha deixa bem claro que você amou a história haha.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Que edição linda!!! eu ainda não tinha visto e fiquei babando nas fotos. Gostei muito de ver essa resenha e saber um pouco mais sobre essa edição. A história é maravilhosa e quero muito ler esse livro. A Leya está de parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Tenho muito amor por esta história, MUITOOOOOOOO!!!! Embora você tenha falado que nada do que você diga, expressará a intensidade desta narrativa, acho que a sua resenha foi uam das melhores que já li do O Corcunda Notre Dame. Me deu muita vontade de reler!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Que legal ter a oportunidade de ler um clássico!
    Confesso que só conheço através de peças e desenhos, mas nunca pude ler o livro.
    Adorei a forma como você descreveu em sua resenha.
    As edição está linda!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oii! Nunca li o livro, só assisti a adaptação em desenho animado e AMEI! Sua resenha fez com que me desse vontade de ler o livro <3

    Beijos.

    myuniversoparticular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Já conheço a história dos filmes da Disney e acho essa história linda!
    Confesso que nunca tinha tido muito interesse em realizar essa leitura, até esse exato momento em que sua resenha me deixou encantada com a história.
    A história parece ser realmente maravilhosa e apaixonante e mais sendo do Victor Hugo!
    Quero muito ler essa leitura e já adicionei na minha lista de desejados do Skoob!
    Parabéns pela resenha, ela me despertou muitos sentimentos.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, nunca li esse livro e nem sabia que era do Victor Hugo, mas sei que elogiam muito a escrita do autor. Fiquei bem entusiasmada em ler esse livro depois da sua resenha, eu tinha até esquecido que a famosa historia do Corcunda tinha um livro,kkkkk.
    Amei a resenha e vou colocar na minha lista de desejados.
    bjus

    ResponderExcluir
  9. Tenho esse livro desde 2012, na edição da Martin Claret que é mais simples que essa edição que vc leu. Ainda não consegui ler, mas pretendo assim que possível. Muito bom vê-lo resenhado aqui e saber que tem uma narrativa envolvente e que desperta a curiosidade do leitor. Parabéns pela leitura desse clássico e amei sua dica de leitura. Beijos querida!!!

    P.s. Citei vc em um post lá no blog vc viu!!!???
    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Primeiramente, preciso te dizer que sua resenha é de longe, uma das melhores que li até hoje na vida, parabéns.
    Você conseguiu mostrar a grandeza desse livro e o quão importante ele foi para você. Sempre que ouço falar nesse livro pensava se era ou não similar ao filme da Disney, mas você quebrou esse tabu e muitos outros.
    Adorei conhecer um pouco mais sobre os personagens e a obra e, confesso, fiquei muito mais animada para ler esse livro, uma pena que ainda não tenha.
    Essa leitura parece ser tão intensa que sinto que preciso me dedicar totalmente a ela.
    Adorei a resenha!
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada do autor, mas lembro de assistir o desenho do Corcunda de Notre-Dame na TV Cultura e eu adorava! Depois dessa sua resenha, falando só coisas boas, preciso conhecer melhor essa estória! Assim que possível, lerei. Ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  12. Realmente a maioria dos clássicos mexe com a gente de forma muita mais profunda, e parece que foi isso que aconteceu com você. Tenho curiosidade em conhecer a verdadeira história de Quasimodo, e agora fiquei super curiosa para conhecer melhor esses personagens e essa trama e poder sentir esse encantamento.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Pollyanna!
    Eu nunca li o livro nem vi o desenho da Disney. Mas fiquei com vontade de ler o livro agora!
    Parece ser uma história linda e dá ainda mais vontade de ler com essa edição caprichada.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Que ótimo que deve ser esse livro. Infelizmente ainda não tive a chance de ler, mas pretendo um dia. Adorei a capa dessa edição.
    As vezes, quando leio um livro em que gosto muito do cenário também fico com vontade de conhecê-lo. Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  15. Apaixonante, flor, é a sua resenha! Uau! Foi de tirar o fôlego. Sua sensibilidade sobre o Quasímodo me encantou... Eu espero ler esse livro com seu olhar e coração. Adorei saber que o autor demonstrou toda a sua habilidade ao desenvolver um romance com sentimentos complexos, trazendo como protagonista um ser tão incompreendido e ao mesmo tempo nu do que nos faz superficiais. :)

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Olha confesso que nunca li nada do autor,e que dessa obra só vi a animação da Disney e até então nunca tinha parado pra me interessar por essa leitura,e lendo sua resenha me fez ver o quanto tempo perdi pensando isso e com certeza estará na minha lista de leituras ^^

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/04/resenha-nove-regras-ignorar-antes-de-se.html#comment-form

    ResponderExcluir
  17. Olá! Adorei essa edição, estou louca para ler. Também tenho vontade de ir para os lugares que falam nos livros. Pena que alguns não existem de verdade haha

    Beijo, ótima resenha.

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu só conheço essa história na versão da Disney. Pelo que vi da sua resenha a história é muito intensa e bem escrita. Adorei o modo como você explicou que a história se desenrola.
    Sua resenha está maravilhosa.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  19. O corcunda é um dos meus livros preferidos... A história realmente é trágica e bela, aquele final me deixou aos prantos, fiquei triste por uns dias... e a versão da Disney realmente, tem nada a ver hahahaa quem gosta de coisas felizes vai se espantar com o livro...
    bjs...

    ResponderExcluir
  20. Nossa, tinha até esquecido que "O Corcunda de Notre Dame" era baseado em um livro! Eu lembro que gostava bastante do desenho da Disney, e pela sua resenha tenho certeza que vou me apaixonar pela história e pela escrita de Vitor Hugo. Sem dúvidas, deve ser incrível ir para a igreja de Notre Dame com um guia apaixonado como Quasímodo, não?
    Beijos,
    Déia
    Own Mine

    ResponderExcluir
  21. Oii,
    Esse é um dos clássicos que morro de curiosidade para ler, mas sempre acabo pulando, não sei por que. Amei sua resenha, vc me deixou ainda mais curiosa pela história do Quasimodo. Eu amo a escrita do Victor Hugo e acho que ele tem mesmo um certo dom de mexer com a gente forma profunda.

    Bjs
    Aline Lima
    Semrpe Nerd

    ResponderExcluir
  22. Helloo, tudo bem?!
    Eu nunca li nada do Vitor Hugo apesar de o meu professor de literatura mencioná-lo às vezes. Acho que mesmo com todas as pinceladas da disney, para mim, o Corcunda de Notre Dame é uma das estórias mais tristes que já conheci. Realmente fiquei com vontade de chorar só de lembrar pelo que o Quasímudo passa. Essa edição está linda, mas não sei se ainda assim leria a obra, acho trágica demais e já meio que sabendo o que acontece não é tão motivador. Se eu não conhecesse um pouco da estória até me arriscaria porque curto tragédias.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  23. Olá, sabe que eu tenho esse livro na minha estante já faz muito tempo e não tive oportunidade de pegar ele para ler ainda. Não peguei por falta de tempo mesmo, mas estou doida para conferir essa obra famosíssima e que todos amam, e fiquei super feliz em ver que você adorou o livro!

    Beijos

    www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  24. Olá, sabe que eu tenho esse livro na minha estante já faz muito tempo e não tive oportunidade de pegar ele para ler ainda. Não peguei por falta de tempo mesmo, mas estou doida para conferir essa obra famosíssima e que todos amam, e fiquei super feliz em ver que você adorou o livro!

    Beijos

    www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  25. Oi!
    Eu nunca li a história do Corcunda de Notre Dame, e confesso que nem assisti o desenho ou filme, então acho que se lesse esse livro iria gostar bastante, pois é um clássico bem famoso.
    Eu tenho outro livro dessa 'série' da Leya, e gosto muito da edição, pois ela é cheia de ilustrações e bem colorida, fora que sempre são fininhos e anima os leitores de todas as idades.

    ResponderExcluir
  26. Nossa!!
    Quero essa edição para combinar com as que tenho aqui também da editora e da coleção.
    Amo a história do Corcunda e saber que o livro é ainda mais maravilhoso através de suas palavras me deixou com mais vontade ainda de lê-lo.
    Vitor Hugo é um dos autores que mais tenho vontade de conhecer e espero que isso aconteça tão logo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  27. Olá linda,
    Acho esse livro a melhor obra de Victor Hugo porque ele misturou amor e tragédia da forma mais profunda e devastadora possível e o final destrói todo coração alienado que acreditava no final do desenho da Disney haha.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  28. Olá!
    Muito ouvi falar dessa história e do autor e acho que devo ter assistido a famosa animação da Disney. Mas, confesso que não sei praticamente nada do enredo.
    É bom saber que você gostou e que o livro é emocionante. Assim como você sou bem emotiva em alguns momentos e tenho quase certeza que me emocionaria, pois tudo parece ser tão triste e tão belo ao mesmo tempo.
    Gostei muito da resenha!

    Abraços, Lara.
    http://imperioimaginario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir