Resenha #116: Uma chance para recomeçar

Título: Uma chance para recomeçar
AutoraDiana Scarpine
Editora: Pandorga
Nº de Páginas: 432


Carina é uma workaholic rica e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe sequelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito?

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Este ano estou tendo muito mais contato com a escrita de autores nacionais. Isto tem me deixado extremamente feliz e surpresa com a diversidade de títulos e com as temáticas abordadas em suas obras. O livro de hoje foi uma dessas surpresas positivas e é claro, não podia deixar de compartilhar esta leitura com vocês, não é mesmo? Vem comigo saber um pouco da minha experiência literária com o livro Uma chance para recomeçar, da autora Diana Scarpine, parceira aqui do blog!


Acho que nunca comentei com vocês, mas, minha mãe deu aula por mais de dez anos em escolas de ensino especial. Isso fez com que convivesse desde criança com pessoas que eram portadoras de necessidades especiais e me interessasse muito pelo tema, tendo em vista a vivência e as dificuldades pelas quais essas pessoas passavam.

Quando me deparei com a capa deste livro pela primeira vez, eu não sabia o que esperar, mas fiquei encantada! Quando a autora me convidou para ler sua obra e eu fui pesquisar um pouco mais sobre ela, fiquei extremamente interessada por encontrar na mesma um personagem cego. Foi o impulso que precisava para conhecer a escrita de Diane e cá entre nós? Impulso abençoado! Rs Me deparei com uma obra extremamente bem escrita, delicada e que foge dos padrões.


O livro nos conta a história de Carina, uma mulher de boa classe social, viciada em trabalho e que tem sérios problemas para se relacionar e conversar com pessoas desconhecidas. Tendo em vista sua falta de traquejo social e sua baixa estima, ela se empenha ao máximo no trabalho, se tornando refém do mesmo, até que seu emocional desgastado cobra seu preço.

Devido ao stress e ansiedade, Carina acaba tendo uma paralisia facial parcial, passando por um grande susto.

“O lado direito do meu rosto estava completamente paralisado... imóvel, estático. Era como se não fizesse mais parte de mim. Meu ouvido direito estava dormente e os sons chegavam a ele de forma confusa e distante. Será que isso foi causado por aquela dorzinha e por aquele leve e esporádico – só acontecia na hora de dormir – zumbido no ouvido que eu vinha sentindo havia mais de duas semanas e que eu atribuía ao estresse no qual estava submersa? E como isso evoluiu para a testa, uma sobrancelha e metade da boca completamente inertes, e para um olho que não piscava, não lacrimejava e era incapaz de se fechar? Eu nunca mais poderia sorrir novamente?”

A mesma é obrigada a se afastar do trabalho e passa a fazer sessões de fisioterapia para recuperar os movimentos de sua face. É nesta clínica que vê sua vida cruzar com a de Aurélio, um homem que sofreu muito em sua vida, tendo sido vítima um acidente pelo qual se culpa, em que teve 50% de seu corpo queimado, tendo perdido sua visão e sua família. Isto fez com que ele se tornasse um homem amargo, sem anseios e sonhos.

“Desde o terrível acidente que mudou drasticamente a minha existência eu sempre passava os anos como um mero expectador da vida, alguém que não fazia mais parte dela há bastante tempo. Era como se eu a visse em preto e branco, ou melhor, no meu caso, não era mais capaz de enxergá-la e não fazia mais questão disso. Eu era alguém que encarava a vida como uma tediosa sucessão de dias idênticos, sem acontecimentos relevantes e que, simplesmente, passavam em um clico infinito e sem sentido”.

Quando Carina o vê pela primeira vez, se sente atraída, mesmo sem saber ao certo o motivo. Aurélio é seu massoterapeuta e usa uma máscara para cobrir sua face e não faz questão nenhuma de ser gentil com ela. Ainda assim, ela insiste em se aproximar e eles acabam se tornando amigos.

À partir daí vemos uma história se desenrolar, mas, não se engane achando que é algo clichê. Aqui vemos personagens marcados pela vida, repletos de inseguranças e medos, que passam a se descobrir e tentam se aceitar para que possam viver de fato. Mais do que um romance é uma história de superação de preconceitos e auto preconceitos; é um romance entre pessoas que não pretendiam se apaixonar e que nos rendem uma bela e delicada história de amor.


Como eu disse acima, não se trata de uma história clichê. Pode até parecer à primeira vista, mas, a autora desenvolveu seu enredo de tal forma que a história se tornou diferente de tudo que já li.

Foram 432 páginas que fluíram com uma rapidez espantosa, escritas com delicadeza e propriedade, onde conheci personagens complexos, bem construídos e cativantes, daqueles pelos quais torcemos, sabe?

Muito mais que preconceito e intolerância, que são gigantescos e bem abordados no livro, aqui vemos também o auto preconceito que existe e que raramente é abordado em livros em que temos personagens com necessidades especiais.  O complexo de inferioridade existe sim em alguns casos e Diana soube mostra-lo com maestria, deixando claro que esse sentimento precisa ser trabalhado para que a pessoa não viva à margem da sociedade, como tantas vezes acontece. O preconceito externo já é doloroso, mas o interno sufoca e podemos ver isso claramente em Aurélio.

Falando neste personagem, gostei muito da forma como a autora aborda sua independência, mesmo que com sua deficiência visual e faz uma crítica à falta de acessibilidade que ainda existe em nosso país, fora as tentativas que são feitas de maneira errada.

O romance – que demora um pouco a se desenrolar e esse foi o ponto que me fez dar 4,5 em 5,0 no skoob – convence e cativa. Os personagens se assemelham a o real, tendo falhas e acertos. O medo de se relacionar novamente de Aurélio é totalmente coerente se formos olhar tudo pelo que passou. Sua postura ríspida é fruto de um auto preconceito e de preconceitos externos. É totalmente compreensível, apesar de não ser saudável, a forma como ele passa a encarar a vida.

Carina é uma mulher com um coração extremamente bom e desprendida de aparências, até mesmo da sua. Sua maneira de ver o mundo e a forma como ela vive é incrível e se torna impossível não se deixar cativar por essa personagem.

O relacionamento que surge entre os dois nos envolve, sendo embalado por uma trilha sonora que se mistura ao enredo e nos deixa ainda mais encantados pela história. Fiz uma playlist no spotify com as músicas que deixei linkada aqui, mas, para saber o sentido das mesmas na história é só lendo! Rs


Quanto aos personagens secundários, eles também são muito bem desenvolvidos e têm muita importância para o desenrolar da trama. Não vou falar de cada um pela extensão da resenha, mas, tenho certeza que se encantarão com os mesmos.

Como dito acima, o enredo é muito bem construído e é finalizado sem pontas soltas. Vemos desenrolar através das linhas cada ponto do enredo, nos mostrando uma bela história de amor repleta de ensinamentos que envolvem segundas chances, quebra de preconceitos, aceitação de si mesmo, acessibilidade e recomeços, porque o que seria a vida senão um constante recomeço, não é mesmo?

Deixo aqui a indicação desse livro, com a certeza de estar apresentando uma obra única e especial para vocês! Deixem-se encantar e emocionar com Uma chance para recomeçar!

E por hoje ficamos por aqui. Espero que a resenha não tenha ficado confusa! Quanto mais gosto de um livro, mais difícil se torna escrever sobre ele! >< Rs Não deixem de comentar ok? Beijos e até o próximo post!


Diana Scarpine é baiana da cidade de Jequié, possui graduação em Ciências Biológicas, mestrado na área de saúde e atualmente cursa doutorado, no qual tem se dedicado ao estudo da deficiência e da Tecnologia Assistiva. Apaixonada por literatura, escreve desde os treze anos de idade, transitando entre a prosa e a poesia. Além de “Uma Chance para Recomeçar”, é autora de “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso” (2012).



20 comentários:

  1. Muito obrigada pela linda resenha, Polly! Adorei!

    Abraços,
    Diana Scarpine.

    ResponderExcluir
  2. Li este livro no inicio do ano e foi uma leitura maravilhosa pra mim, principalmente porque a escrita da Diana é envolvente e sensível. Também acho que o final foi muito bem desenvolvido.
    Quero ler mais coisas da autora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem ?
    Nossa, que livro forte né ?! Eu ainda não conhecia, mas achei bem interessante a proposta, me parece de uma sutileza e uma grandeza humana enorme, é algo tão raro falarmos de coisas assim. A paralisia facial acontece muito. Além de o texto ser bem construído e os personagens secundários bem feitos.
    Gostei e anotei a dica.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie! Tudo bem?

    Ainda não tive a oportunidade de realizar a leitura de algum livro da autora, todos falam muito bem da narrativa e história desse livro, mas ainda tenho medo de o ler, por ser muito grande! Não me fecho com romances desse tamanho! Mas deixarei a dica anotada, quem sabe futuramente o leia!

    Bjss

    ResponderExcluir
  5. AAAAA, esse livro tá na minha lista! Sua resenha ficou incrível e adorei saber que não tem pontas soltas.
    Minha amiga já falou que é muito emocionante, e toda resenha que leio é sempre positiva também.
    Espero poder ler muito em breve!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  6. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda bem que gostsate tanto de fazer a leitura!! Talvez leia...

    Acho otimo que os personagens secundários sejam bem construídos e com importância! E também que não termine com pontas soltas! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  7. Olá Pollyanna tudo bem?

    Não conhecia o livro e nem a autora, mas gostei demais da premissa e pela sua resenha vejo que é uma história e tanto, dica anotada....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Também tenho tido um contato maior com obras de autores nacionais esse ano e não tenho me decepcionado. Muito bom saber que esse livro foi uma surpresa positiva para você, pois já tinha lido outra resenha positiva sobre ele e ficado um tanto instigada a ler. A premissa é boa, traz assuntos importantes e personagens cativantes ajudam a conquistar mais o leitor. Sua resenha está ótima, boa dica, beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá, como vai?
    Realmente os personagens de Diana neste livro, se assemelham a vida real, por seus erros, falhas e vontade de serem felizes. O romance demorar a se desenrolar, foi o ponto crucial para amar o livor, já que diferente de muitos clichês, o amor entre eles cresceu gradativamente, como realmente acontece em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Eu ainda não conhecia o livro, mas me chamou a atenção quando diz que foi um livro que te envolveu do começo ao fim, e ainda tem um final sem pontas soltas. Uma leitura que com certeza vou ler.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Oi, Polly, tudo bem?

    Que legal que sua mãe trabalhou tanto tempo com pessoas especiais.
    Eu já li algumas resenhas sobre esse livro, mas a sua é de longe a mais completa e pude sentir todos os seus sentimentos em relação a leitura.
    Acredito que seja uma história muito tocante, acho que eu iria adorar.
    Eu tenho uma amiga que teve paralisia fácil por estresse também. Acho que eu iria gostar muito do Aurélio, só de ler a resenha já senti empatia.
    Com certeza quero ler.

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Que bom que teve uma surpresa positiva. Eu ainda estou lendo o livro, mas essa semana ou na próxima devo estar postando a resenha.
    E achei incrível como a autora escreve os detalhes da deficiência, do preconceitos, dos medos e tudo pelo que o personagem Aurélio passa.
    A Cal é um amor.

    ResponderExcluir
  13. Oi.

    Eu já li algumas resenhas sobre esse livro, mas a sua é a primeira que destaca a questão do auto preconceito. Acho que é o aspecto mais difícil de ser superado e o mais nocivo também.
    Gostei muito da resenha, eu já queria ler o livro, agora quero ainda mais.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oie!
    O que mais gostei de saber é que apesar de parecer clichê o livro não é! Isso me deixou mais curiosa com relação a leitura. O drama vivido pelos personagens não é nada fácil, e com certeza a narrativa está repleta de ensinamentos e reflexões!
    Já tinha lido algumas resenhas com relação a esse livro, e cada vez fico mais tentada para lê-lo!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi.
    A literatura nacional é sempre uma grata surpresa.
    Gostei de você ter reunido as músicas aqui.
    Só de escutá-las e de ler sua resenha, foquei curiosa para conhecer a história da Carina e do Aurélio.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Oiee Polly ^^
    Eu comecei a ler esse livro assim que ele chegou (a autora cedeu um exemplar para resenha ♥), e foi indo, mas eu não consegui gostar dos personagens, acredita nisso? Não sei o que aconteceu, mas eu me irritei com o fato de eles ficarem se desculpando com o outro o tempo todo. Mas estou querendo seguir com a leitura, pois sei que a história é emocionante e tocante. Vamos que vamos ♥
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi querida,
    Eu já li resenhas e mais resenhas deste livro. Mas sempre ficava com um pé atrás sobre começar ou não a ler. Mas depois de tanto tempo, percebi que a história é linda. Com personagens marcantes e com uma premissa maravilhosa.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  18. Preciso desse livro pra ontem! Sua resenha me deixou sem palavras. Com certeza o livro foge do comum e ainda assim parece tão romantico e belo, realmente o auto preconceito é algo tão pouco falado! Espero poder ler a obra em breve, fiquei apaixonada.

    ResponderExcluir
  19. Oie!
    Nossa que resenha muito bem escrita. Arrasou!
    A capa do livro é simplesmente linda, assim como a premissa da história. Sua resenha me deixou apaixonada.
    Dica mais do que anotada.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Nada como um enredo assim para fazer mais de 400 páginas passarem como se fossem 100, né? :) depois de ver tantos elogios pra esse livro, não tem como não querer conferir essa história, depois da sua resenha então, sinto que eu já amei hahaha
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir